sexta-feira, 25 de maio de 2012


Só eu sei a solidão o que senti, quando deixei de escrever. Senti minha chaga. Entrei de cabeça na minha zona de conforto. Deixei de ter encontros semanais comigo mesmo, de juntar fatores que me tiram do sério, de arquitetar futuros projetos com gana e inocência de um sonhador. Talvez seja o preço de estar feliz demais, ficamos cegos por muito tempo e passamos a não nos incomodar com perturbações indiretas. Já nem pareço o mesmo cara que era viciado nos contos de Franz Kafka , ou mesmo no cinema trash europeu dos anos 80. O garoto que queria aprender todos os idiomas derivados do latim. Me tornei um produto, faço parte de um novo círculo vicioso. Quem não faz? Me tornei humano, eu humano!

Nenhum comentário:

Postar um comentário